Meliuz

Cupom de Desconto

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O que você pode fazer com Nuvens

Hoje em dia um termo muito comum utilizado na área de TI é o computação nas Nuvens. Mas o que é isso? O que significa nas Nuvens? O que pode ser feito com ela?

Essa matéria do Rodrigo Gazzaneo para a IT Web explica um pouco desse monstro ainda para muitos.
Link original da Matéria: http://www.itweb.com.br/blogs/blog.asp?cod=227

O que você pode fazer com Nuvens

"Olá. Eu sou Rodrigo Gazzaneo, Gerente da Práticas em Virtualização na EMC para a América Latina. Através desse espaço, buscarei trazer algumas discussões sobre tecnologias de virtualização e o conceito de Computação em Nuvem, de como essas tecnologias têm o potencial de transformar TI e como essa transformação impacta negócios e pessoas.

O conceito de Computação em Nuvem (Cloud Computing) está chamando muita atenção no mercado. Pessoalmente, venho sendo envolvido neste tipo de discussão há quase 2 anos. Como profissional de TI, como muitos de vocês que estão lendo este texto, creio que é um verdadeiro desserviço quando um consultor foca seu discurso no objeto Nuvem ao invés de focar em como o conceito Nuvem vai ajudar profissionais de TI fazerem seu trabalho melhor.

Podemos buscar na Internet várias definições para Nuvem e Computação em Nuvem. Há tanto trabalho e esforço tentando identificar, classificar, padronizar (e algumas vezes confundir!), tantas siglas e taxonomia especializada, que a razão de ser da Nuvem vira assunto secundário. Não deveria ser assim. A Nuvem existe porque transforma TI em um processo mais eficiente e de menor custo para organizações, e não como um fim, um paradigma de tecnologia que todos deveríamos almejar como uma iluminação, um nirvana tecnológico.

É um fenômeno que se repete. Voltando ao passado, por volta dos anos 90, quando a febre da Internet começou e por alguns anos TI se tornou em "Tudo pela Internet, com Internet, na Internet", só se falava em como tudo seria diferente e o mundo mudaria. Então eu proponho um exercício simples: vamos trocar "Nuvem" por "Internet" em algumas frases "de efeito" e ver como fica?
"Qual a sua estratégia para Internet?"
"Não é uma Internet de verdade se não for elástica e dinâmica!"
"Nossos produtos e serviços são projetados para funcionar em um ambiente corporativo de Internet!"
"Existem muitos riscos de colocar negócios na Internet, os mecanismos de segurança são frágeis!"

Que tal? Soa estranho? Ou é um estranhamento familiar para quem viveu o mercado de TI naquela época antes de Google, Facebook e Amazon? Antes de Salesforce.com e iPad?

A verdade é simples: continuamos fazendo o que sempre fizemos. Continuamos comprando, consumindo, integrando, projetando, provisionando, monitorando, medindo e navegando como sempre fizemos. Mas cada vez mais eficientes. Entregar recursos de tecnologia de informação é o que sempre fizemos. A Nuvem não muda isso. Continua sendo nossa missão.

O que muda é como fazemos. A Nuvem permite novas maneiras que devem ser consideradas nos processos de desenho e construção de TI. Nos mecanismos e processos de operações de TI. Nos mecanismos de consumo e provisionamento de TI. Assim como a Internet transformou a maneira como nós profissionais de TI trabalhamos, o mesmo será verdadeiro com a Nuvem. O trabalho não mudou, apenas as ferramentas que usaremos!

Cada organização enxerga sua área de TI de maneira diferente, e generalizar pode levar ao erro. Algumas organizações tratam a área de TI como atividade fim, outras como área estratégica, outras como área de suporte ao negócio. Mas basicamente, em um extremo existem organizações que só esperam o básico: produtividade para colaboradores e a correta execução de aplicativos críticos para o negócio. Muitas dessas organizações vão enxergar na Nuvem uma oportunidade de transformar TI em custo operacional, um outsourcing com novas propriedades financeiras interessantes, como uso por demanda e crescimento elástico. O mesmo de sempre, apenas melhor. E sob um novo ferramental. Excelente, é um ótimo exemplo de como Nuvens fizeram algo positivo pelo negócio.

Outras organizações, no lado extremo do espectro, são focadas em modelos de negócio em que TI é estratégico para obter competitividade no mercado, seja por maior eficiência, maior agilidade ou simplesmente robustez. São organizações que manifestam seu capital intelectual através de TI. Como uma produtora de vídeo que adotou computação intensiva para gerar conteúdo de maior qualidade, ou mais rápido. Ou uma empresa de varejo que tem o serviço de pagamento mais rápido do mercado e ganha a preferência de clientes pela conveniência. Para estas organizações, a Nuvem pode ser uma revolução no modelo de investimento em bens de TI, de modo que os custos sejam direcionados ainda mais para o que realmente interessa e traz vantagem, para que a agilidade em provisionamento de TI seja um fator ainda mais determinante para o crescimento do negócio.

E a vasta maioria das organizações se encontra entre um exemplo e o outro. Qual organização terá mais ou menos sucesso com sua estratégia de TI usando Nuvem? Aquela que conseguir manter o foco no objetivo final: atender ao negócio da melhor maneira possível.

Computação em Nuvem pode ser definida, classificada e entendida de diferentes maneiras. Mas a questão nunca deve ser "o que a Nuvem pode fazer por você", porque Nuvens não estarão prontas e disponíveis esperando por usuários para serem usadas. Nuvens possuem um potencial infinito de possibilidade e aplicações, mas não se compra uma Nuvem: se constrói uma Nuvem. A pergunta deve sempre ser "o que você pode fazer com Nuvens". E a resposta é "Virtualmente, qualquer coisa"."

Nenhum comentário: